top of page

A Dança da Inteligência Emocional: Uma Sinfonia Interior para a Vida

Nossa sociedade está adoecendo coletivamente, dizem os psiquiatras; vivemos, dizem os filósofos, na sociedade do cansaço; somos frutos de comportamentos viciados em meio a uma sociedade líquida, com uma moral liquida, dizem os sociólogos.

O fato é que em um mundo cada vez mais complexo e acelerado, a inteligência emocional surge como um farol que ilumina o caminho para o sucesso e a felicidade. Mais do que um conjunto de habilidades, ela é uma dança harmoniosa entre mente e coração, uma sinfonia interior que nos permite navegar pelas nuances da vida com sabedoria e compaixão.



No palco da inteligência emocional, os holofotes se voltam para a autoconsciência. É a capacidade de reconhecer e compreender nossas emoções, como notas musicais que definem o ritmo da nossa experiência. Sem essa percepção aguçada, somos instrumentos desafinados, à mercê de impulsos e reações intempestivas.

Ao dominarmos a arte da autoconsciência, abrimos as portas para a auto regulação. É a capacidade de controlar e direcionar nossas emoções, como um maestro que harmoniza os sons da orquestra. Através da autorregulação, aprendemos a lidar com o estresse, a frustração e a ansiedade, transformando-as em melodias inspiradoras.

A empatia, por sua vez, é a ponte que nos conecta ao outro. É a capacidade de sentir e compreender as emoções alheias, como um dançarino que se sincroniza com o ritmo do seu par. Através da empatia, desenvolvemos a compaixão, a capacidade de compartilhar e aliviar o sofrimento alheio, tecendo laços de afeto e cuidado.

A motivação, a força motriz que nos impulsiona em direção aos nossos objetivos, também encontra seu lugar na dança da inteligência emocional. É a capacidade de persistir diante dos desafios, como um alpinista que escala a montanha com tenacidade e entusiasmo. Através da motivação, canalizamos nossas emoções para alcançar nossos sonhos, transformando-os em realidade.

Por fim, a maestria da inteligência emocional se completa com as habilidades sociais. É a capacidade de se comunicar de forma eficaz, construir relacionamentos saudáveis e resolver conflitos de forma construtiva, como um maestro que rege a orquestra com precisão e sensibilidade. Através das habilidades sociais, criamos harmonia e colaboração, construindo pontes de comunicação e empatia.

Desenvolver a inteligência emocional é um processo contínuo, uma jornada de autodescoberta e transformação. Através da prática regular, podemos aprimorar nossas habilidades e criar uma sinfonia interior de paz, felicidade e sucesso, na arte da existência.

Tenho ensinado Inteligência Emocional em nossos cursos de pós-graduação de gestão de pessoas e competência emocional por quase duas décadas. Tenho concluído que a inteligência emocional é uma ferramenta poderosa que nos permite navegar pelas complexidades da vida com sabedoria, compaixão e maestria. Principalmente quando nos alinhamos com a maestria do mestre dos mestres, o Senhor da vida.

Teopsicoterapia tem a ver com tudo isso, pois somos encorajamos a cultivarmos essa inteligência, e assim, tornamo-nos maestros, atores e autores da nossa própria vida, em harmonia com o Autor da Vida, compondo uma melodia de felicidade e auto aceitação que inspira, impacta e transforma a todos ao nosso redor.

 


Dr. Silas Barbosa Dias, PhD.

Doutor pela Free University Amsterdam. Mestre pela Université de Genéve. Coordenador e professor de Inteligencia Emocional, no curso de pós-graduação da UniFil, RH Gestão de Pessoas e Competência Emocional. Professor de Psicanálise na graduação de Psicanálise Clínica da UniFil. Coordenador da pós-graduação em MBA em Teoterapia e Competência Emocional (AdVerbum/UniFil).

23 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page