top of page

Autoconhecimento e transformação


Para uma verdadeira transformação, o primeiro passo é se autoconhecer. O autoconhecimento, ou conhecimento de si mesmo em um sentido mais profundo, não se resume à absorção de informações. Este processo tem a função primordial de nos mover em direção ao entendimento de nosso verdadeiro eu, de forma a permitir construções e desconstruções.


É um processo transformador, o maior investimento que podemos fazer em nós mesmos, pois quando nos conhecemos, não reagimos impulsivamente aos nossos processos internos e à vida, mas desenvolvemos uma conexão consciente com nosso "eu" e com o mundo externo. Através desse processo, nos é permitido conhecer e trabalhar nossos conflitos, resistências, ou seja, nossas sombras, bem como conhecer e desenvolver os recursos, as possibilidades e potencialidades. Isso nos ajuda a nos encontrar, nos aceitar em nossa unicidade e complexidade.


Normalmente, esse termo é atribuído ao filósofo Sócrates (479-399 a.C.). A frase "conheça-te a ti mesmo" é, na verdade, a inscrição que se via na entrada do Oráculo de Delfos. Autoconhecimento é uma palavra formada por derivação prefixal, ou seja, um prefixo é acrescentado a uma palavra já existente, alterando assim o sentido da mesma. Neste caso, o prefixo "auto" (próprio) adicionado ao substantivo "conhecimento" gera a palavra autoconhecimento. É o conhecimento que uma pessoa possui sobre si mesma, uma investigação individual que busca identificar suas características mais marcantes, gestos, inclinações, padrões de comportamento e sentimentos vivenciados por ela.


Filósofos como Platão, Espinosa e Freud fazem parte de uma tradição que vê o autoconhecimento como uma conquista ou realização que traz saúde e liberdade. Freud já afirmava que é necessário que o indivíduo olhe para suas profundezas e aprenda, em primeiro lugar, a se conhecer. O autoconhecimento tem três pilares: o psicológico, os valores e as habilidades naturais.


Questione-se sobre suas qualidades: Comunicação e expressão, empatia, relacionamento interpessoal, inteligência prática. Ao descobrir seus pontos fortes, utilize-os em prol de seu crescimento e busque destacá-los. O processo do autoconhecimento é de extrema importância, tanto no aspecto pessoal quanto profissional, pois permite um melhor conhecimento das nossas habilidades, capacidades, virtudes, valores e propósitos. Conhecer-se, apreciar-se e cuidar da saúde física e emocional, compreendendo-se na diversidade humana e reconhecendo suas emoções e as dos outros com autocrítica e capacidade de lidar com as mesmas.


O oposto do conhecimento é a ignorância. Segundo o dicionário básico de filosofia, é a atitude daquele que, não sabendo utilizar suas capacidades racionais, engana-se quanto à qualidade de seus conhecimentos, tomando por verdade o que não passa de uma opinião falsa ou incerta, expondo-se à ilusão e ao erro.


Sócrates não se julgava um erudito, mas simplesmente se autodenominava "amante da sabedoria": "...e o que é, senão ignorância, acreditar naquilo que não se sabe?" Ou seja, o reconhecimento da própria ignorância é o primeiro passo na busca da verdade. Sócrates foi considerado mais sábio entre os sábios de sua época por ser o primeiro a admitir sua própria ignorância e estar em constante aprendizado. No livro de Provérbios 14:8, diz que "o homem prudente sabe julgar os fatos da vida, mas a mente do tolo está cheia de ilusões enganosas".


O autoconhecimento capacita o indivíduo a compreender suas questões com maior facilidade, o que é essencial para entender como ele se comporta, sente e manifesta suas emoções. Desenvolver o autoconhecimento ajuda a identificar limites, reconhecer exposições de fraquezas, sinais de cansaço e manter a mente saudável e equilibrada. Conhecendo a si mesmo e entendendo como suas emoções, traumas e vivências o afetam, uma pessoa se torna capaz de lidar melhor até mesmo com a ansiedade e a depressão. É um trabalho contínuo que precisa ser aprimorado ao longo do tempo, mas é efetivo e pode ser um meio para superar essas doenças.


Os pontos norteadores para o autoconhecimento são:

1) Entender o que você está fazendo.

2) Refletir sobre o que você está sentindo.

3) Analisar os pontos que precisam de mais atenção.


O processo de autoconhecimento ocorre quando damos a oportunidade de abrir nossas mentes ao conhecimento, de quebrar paradigmas estabelecidos ao longo da vida e que ficam armazenados em nossas mentes. Esses são modelos mentais nos quais baseamos nossas percepções, ou seja, o padrão através do qual entendemos, analisamos e modificamos o mundo exterior. A jornada do autoconhecimento tem início, mas não terá fim.



Márcia Souza

Aluna de Teoterapia


27 visualizações0 comentário
bottom of page